curvas

Notícias

28/07/2017

Sertanejas comemoram orgulhosas o dia da Agricultora: "A agricultura é minha vida"



Agricultora Maria Aparecida, da comunidade de Cachoeira do João, expressa toda sua graditão à agricultura. Foto: Emanuela Castro 

"A agricultura é uma sabedoria diária. Todo dia você aprende algo novo com ela". Esse é o sentimento externado por Joana Darc, 28 anos, moradora da comunidade de Sitio Lagoa do Almeida, do município de Santa Cruz da Baixa Verde. Ela e muitas outras sertanejas(os) comemoram hoje o dia da Agricultora(o).

A celebração não deve ser esquecida. São as mulheres do campo que na maioria das vezes estão inseridas na lida diária com os quintais e o roçado; no cuidado com os animais e no preparo de uma alimentação saudável para toda a família. A agricultora Joana Darc, que também é secretária da Associação Mulheres Flores do Campo, explica que a agricultura fez e faz parte da sua família por gerações. "Me criei com a agricultura, aprendi com minha mãe e meu pai e é dessa forma que crio meu filho. Todos aqui sabem o valor que ela tem", afirma orgulhosa. Ela já participou dos projetos do Programa de Banco de Sementes Crioulas, da ASA-PE, de uma capacitação dos Quintais Produtivos e da Oficina de Pães Saudáveis, todos promovidos pela Casa da Mulher do Nordeste.

Maria Aparecida Santos, 49 anos, da comunidade Cachoeira do João, município de São José do Egito, também expressa toda sua gratidão à agricultura. "Ela é minha vida. Trabalho com isso desde os 10 anos de idade e graças a ela tiro boa parte do meu sustento. Comecei cedo e tenho muito orgulho disso; ajudava no pasto dos bichos, na lavoura, ajudando minha mãe na produção da horta. Minha felicidade é fornecer um alimento que eu sei que é saudável para mim e para minha família. Depois que participei do projeto dos Quintais Produtivos, da Casa da Mulher do Nordeste, e recebi meu kit de irrigação, pude melhorar ainda mais a quantidade e a qualidade do meu alimento; que serve para vender na feira e conscientizar as pessoas pelo não uso de agrotóxico, que infelizmente ainda é muito comum por aqui. Luto para que isso mude e que as pessoas possam saber o valor de uma comida sadia", revela a agricultora.

A data de 28 de julho foi escolhida em alusão a fundação do Ministério da Agricultura, em 1960, no mandando do então presidente Juscelino Kubitchek. Ainda no mês julho, no dia 25, foi comemorado também o dia da Agricultora (o) Familiar.

São essas mulheres que trabalham para mudar a realidade no país. É semeando, fazendo a colheita e cultivando alimentos saudáveis que elas produzem uma subsistência benéfica para toda uma região. Segundo Dados do Censo Agropecuário, a agricultura familiar é responsável por 70% dos alimentos produzidos e consumidos pela população brasileira. 

Bruna Suianne, Núcleo de Comunicação da Casa da Mulher do Nordeste

voltar
curvas

Redes Sociais

FacebookTwitter

Participe